domingo, 25 de setembro de 2016

Faz mal remover os calos dos pés? "Há uma linha tênue entre remover o suficiente e a remoção excessiva dos calos dos pés", diz uma especialista


Sapatos apertados e fechados, inverno, tênis de corrida ou até mesmo longos períodos sem ir na pedicure podem fazer com que os pés fiquem cheios de bolhas.

Contudo, há quem diga que fazer a raspagem da pele morta e remoção de calosidades pode apresentar riscos para a saúde.
O site She Finds falou com a Dra. Jackie Sutera, podologista, que salienta que "Há uma linha tênue entre remover o suficiente e a remoção excessiva dos calos dos pés".
A especialista explica que a remoção não deve ser muito profunda, para o bem dos pés. “Menos é mais. Quanto mais fundo se vai, mais propenso estará a sensibilidade, infecções e ao calo voltar a crescer ainda mais espesso e mais duro."
A especialista explica ainda que há razões bio-mecânicas para algumas pessoas, mesmo sem serem corredores, terem calos mais espessos do que outros. Basicamente, o corpo produz um calo para amortecer áreas ósseas ou áreas de pressões mais elevadas devido à estrutura óssea, destaca.
Mas infelizmente, apesar da sua utilidade, os calos não contribuem nada para a beleza dos nossos pés, muito menos quando se usa sandálias.
Mesmo sem raspar o calo é possível deixá-lo mais mole e com uma melhor aparência. "Quando o calo está suave depois de um banho de água quente, use uma pedra pomes, uma lixa de pés ou um dos novos dispositivos rotativos para remover suavemente o calo", diz Sutera.
Faça-o sempre na mesma direção, aconselha – nada de esfregar para frente e para trás, pois “torna a pele mais áspera”. Não vá muito fundo e depois aplique um hidratante específico paras ajudar a manter os pés macios e suaves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário