domingo, 9 de outubro de 2016

Aluno diabético é expulso do colégio por precisar aplicar insulina O jovem, que teve o diabetes tipo 1 diagnosticado em 2010, usa insulina diariamente para equilibrar a glicose no sangue


Um estudante de 15 anos teve a matrícula cancelada em uma escola particular de Colubandê, em São Gonçalo (RJ) por precisar usar o insulina injetável durante o horário escolar para controlar a glicemia.
De acordo com o Jornal Extra, a notícia chegou até a família no mês de Julho. Antes disso acontecer, a mãe do jovem, Daniele Batista da Silva, de 36 anos, chegou a procurar a coordenação da escola pedindo uma reunião na tentativa de explicar os procedimentos necessários para evitar uma crise de hipoglicemia e deixou um material informativo na escola.
Em maio, o jovem teve uma crise de hipoglicemia durante a aula de Educação Física e ninguém sabia o que fazer. A mãe foi comunicada de que seu filho não poderia continuar na instituição.
"Ele ficou três dias sem comer, com o olhar perdido. Precisei levá-lo a uma emergência. Entrou em depressão, se sentiu recusado na vida", desabafou.
A falta de uma legislação específica sobre como devem ser administradas medicações no ambiente escolar deixa crianças e instituições desprotegidas. Nem mesmo o documento “Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva”, do Ministério da Educação, de 2007, aborda o assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário